Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010

 

 

 

TABACO OU SAÚDE, A ESCOLHA É TUA…

 

Não querendo deixar de assinalar o Dia Mundial do Não Fumador, a coordenadora do Projecto de Educação para a Saúde (PES) em parceria com a professora bibliotecária realizaram no passado dia 17 de Novembro, na biblioteca escolar da escola sede do Agrupamento, uma sessão que apostou na prevenção primária dirigida aos jovens, procurando evitar (ou atrasar) a iniciação e a habituação tabágica.

A sessão estruturou-se em várias etapas começando por abordar a noção de tabaco e tabagismo.

Seguidamente foi projectado um slide alusivo à história do tabaco, desde o seu surgimento no ano 1000 a.C., no seio das sociedades indígenas da América Central e associado a rituais mágico-religiosos, não esquecendo a sua disseminação pela Europa no século XVI, graças ao contributo de Jean Nicot, a sua industrialização sob a forma de cigarro nos finais do século XIX e a sua expansão global e epidémica a partir de meados do século XX, graças ao desenvolvimento de técnicas avançadas de publicidade e marketing.

Visando a interacção com a plateia foram, entretanto, colocadas várias questões que pressupunham a auscultação dos presentes, relativamente a alguns aspectos, designadamente: se consideravam o tabaco uma droga ou não e porquê;  quais as causas que induziam ao consumo; se tinham noção dos custos financeiros que a alimentação do vício comportava por mês e ano; que outra utilidade poderia ser dada a esse gasto, entre outras.

Após esta etapa, o auditório foi elucidado sobre os constituintes do fumo do tabaco, composto por mais de 4 000 substâncias químicas, algumas das quais particularmente perigosas para a saúde, tais como: a nicotina, droga com propriedades psicoactivas, geradora de dependência; substâncias tóxicas e irritantes como o monóxido de carbono; substâncias cancerígenas como o alcatrão; metais pesados e substâncias radioactivas, que conjugadas constituem um verdadeiro “cocKtail” que vai matando aos poucos, não só quem consome mas também quem é exposto ao fumo ambiental, o chamado consumidor passivo.

Seguiu-se o visionamento de algumas imagens e a identificação de algumas doenças desencadeadas pelo hábito de consumo desta substância psicoactiva: diversos tipos de cancro (boca, faringe, pulmão…), doenças cardiovasculares e patologias do foro respiratório, sem esquecer os efeitos nocivos na capacidade reprodutiva dos fumadores e, ainda, no bebé durante a gravidez e após o nascimento.

Antes de terminar a sessão os jovens foram elucidados da existência de apoios quer de natureza comportamental quer medicamentosa a que se pode recorrer, caso  haja intenção de deixar de fumar, designadamente: consultas de cessação tabágica existentes no Serviço Nacional de Saúde – Centros de Saúde ou Hospitais – e linhas telefónicas - «Linha Saúde Pública» do Ministério da Saúde – 808 211 31; «Linha SOS Deixar de Fumar», do Instituto de Cardiologia Preventiva – 808 20 88 88. 

A acção encerrou com a realização de um passatempo alusivo à temática em questão e, ainda, com um apelo à responsabilização dos jovens face ao caminho que pretendem seguir, alertando-os para a capacidade de resistir às pressões dos pares, da publicidade e da sociedade em geral.

Passatempo: Tabagismo

Não querendo deixar de assinalar o Dia Mundial do Não Fumador, a coordenadora do Projecto de Educação para a Saúde (PES) em parceria com a professora bibliotecária realizaram no passado dia 17 de Novembro, na biblioteca escolar da escola sede do Agrupamento, uma sessão que apostou na prevenção primária dirigida aos jovens, procurando evitar (ou atrasar) a iniciação e a habituação tabágica.

A sessão estruturou-se em várias etapas começando por abordar a noção de tabaco e tabagismo.

Seguidamente foi projectado um slide alusivo à história do tabaco, desde o seu surgimento no ano 1000 a.C., no seio das sociedades indígenas da América Central e associado a rituais mágico-religiosos, não esquecendo a sua disseminação pela Europa no século XVI, graças ao contributo de Jean Nicot, a sua industrialização sob a forma de cigarro nos finais do século XIX e a sua expansão global e epidémica a partir de meados do século XX, graças ao desenvolvimento de técnicas avançadas de publicidade e marketing.

Visando a interacção com a plateia foram, entretanto, colocadas várias questões que pressupunham a auscultação dos presentes, relativamente a alguns aspectos, designadamente: se consideravam o tabaco uma droga ou não e porquê;  quais as causas que induziam ao consumo; se tinham noção dos custos financeiros que a alimentação do vício comportava por mês e ano; que outra utilidade poderia ser dada a esse gasto, entre outras.

Após esta etapa, o auditório foi elucidado sobre os constituintes do fumo do tabaco, composto por mais de 4 000 substâncias químicas, algumas das quais particularmente perigosas para a saúde, tais como: a nicotina, droga com propriedades psicoactivas, geradora de dependência; substâncias tóxicas e irritantes como o monóxido de carbono; substâncias cancerígenas como o alcatrão; metais pesados e substâncias radioactivas, que conjugadas constituem um verdadeiro “cocKtail” que vai matando aos poucos, não só quem consome mas também quem é exposto ao fumo ambiental, o chamado consumidor passivo.

Seguiu-se o visionamento de algumas imagens e a identificação de algumas doenças desencadeadas pelo hábito de consumo desta substância psicoactiva: diversos tipos de cancro (boca, faringe, pulmão…), doenças cardiovasculares e patologias do foro respiratório, sem esquecer os efeitos nocivos na capacidade reprodutiva dos fumadores e, ainda, no bebé durante a gravidez e após o nascimento.

Antes de terminar a sessão os jovens foram elucidados da existência de apoios quer de natureza comportamental quer medicamentosa a que se pode recorrer, caso  haja intenção de deixar de fumar, designadamente: consultas de cessação tabágica existentes no Serviço Nacional de Saúde – Centros de Saúde ou Hospitais – e linhas telefónicas - «Linha Saúde Pública» do Ministério da Saúde – 808 211 31; «Linha SOS Deixar de Fumar», do Instituto de Cardiologia Preventiva – 808 20 88 88. 

A acção encerrou com a realização de um passatempo alusivo à temática em questão e, ainda, com um apelo à responsabilização dos jovens face ao caminho que pretendem seguir, alertando-os para a capacidade de resistir às pressões dos pares, da publicidade e da sociedade em geral.

 

 

 

                                Passatempo: Tabagismo

 

O objectivo deste passatempo é descobrir palavras. Segue as pistas.

Agora descobre o que acontece ao fumo do tabaco quando entra no nosso corpo e o que acontece ao nosso corpo quando nele entra fumo de tabaco.

 

 

1.  B__C__ + N__R__ __  

  

Não foi feita para estar fechada + não o meter onde não é chamado.

 

2.  F A __ __ N G__

 

Por aqui ainda passam sólidos, líquidos e gasosos.

 

3.  T__A Q __ E __ __

 

Se sólidos ou líquidos aqui chagarem, dá direito a palmadas nas costas.

 

4.  P __ __ __ Õ __ S 

 

Quem os tem bons, bom fôlego tem.

 

5.  B R __ N Q U __ __ __

 

Se não estão bem, não dá bronca, dá bronquite.

 

6.  A __ V É __ L O __

 

É aqui que vai parar tudo o que anda no ar.

 

7.  H E __ __ __ __ __ E

 

Entra oxigénio, sai dióxido de carbono, mas outras coisas vão nessa onda.

 

8.  S __ N __ U __

 

Quando está escuro, precisa de bons ares para ficar mais vivo.

 

9.  C __ R __ O + T __ D __

 

Duas palavras que são o que nós somos, pelo menos fisicamente.

 

10.  I __ T O X I __ __ D __

 

Se no ar há fumo de tabaco, no fim dá esse resultado.

 

Coordenadora do PES e Professora Bibliotecária



publicado por leraprenderecrescer às 12:09
no Agrupamento de Escolas de Oleiros
mais sobre mim
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
27

28
29
30


links

Contador de acesso grátis